Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Aenean commodo ligula eget dolor. Aenean massa. Cum sociis Theme

1-677-124-44227

184 MAIN COLLINS STREET WEST VICTORIA 8007

Etiam ultricies nisi vel augue. Curabitur ullamcorper ultricies
Top

Blog

Moldando Mentes, Moldando Corpos

Use um mindset com princípios de crescimento para manter os clientes motivados!

Não é difícil manter motivados aqueles entusiastas do exercício que gostam das suas aulas. O maior desafio é manter os indivíduos tímidos, ansiosos, aqueles que podem precisar de mais movimento – e que podem se tornar novos “seguidores” se tiverem a chance de ganhar um pouco de confiança.

Como instrutor de fitness em grupo, como você consegue isso? Uma maneira é através da compreensão da mentalidade. Você sabe, por exemplo, por que algumas pessoas não unem à sua turma, ansiosas para enfrentar a primeira fila? Não é incomum que as pessoas tenham fobia de exercícios ou se sintam envergonhadas ou embaraçadas.

Assim, a psicologia impulsiona (ou prejudica) nossa motivação para o exercício. De acordo com Len Kravitz, PhD, coordenador do programa de ciência do exercício e pesquisador da Universidade do Novo México, há evidências (Trost et al. 2002) de que “o fator psicológico primário associado à adesão ao exercício é a autoeficácia física de uma pessoa”. Em outras palavras, o nível de sucesso de uma pessoa é determinado por sua confiança em completar um movimento ou programa de exercício.

Quando um indivíduo medroso dá o passo monumental para uma experiência na sua turma, é sua meta – e responsabilidade – proporcionar uma experiência positiva que incentive o participante a voltar várias vezes. Assim como Kravitz afirma, “A influência do profissional do exercício em capacitar os clientes para ‘ter sucesso no exercício’ é de vital importância para o exercício da conformidade.”

Capacite seus participantes, ajudando-os a mudar sua mentalidade. Em outras palavras, molde suas mentes antes de moldar seus corpos.

Entendendo a mentalidade e a comunidade

“Eu nunca seria capaz de fazer isso.”

“É tão difícil.”

“Eu não gosto de fazer esses movimentos.”

Às vezes, as pessoas sentem que sua capacidade de se exercitar ou executar um padrão de movimento é limitada. Eles podem até acreditar que eles nasceram sem certas habilidades e não podem mudar isso. Muitas vezes, eles nem querem experimentar um movimento ou desistem completamente de um exercício. (Observação: essa discussão não está se referindo a pessoas que acabaram de fazer uma cirurgia no joelho e não podem pular, por exemplo). Os participantes relutantes podem ter uma mentalidade fixa que se enraíza na natureza. Como seu líder fitness, você quer ajudá-los a nutrir um mindset de crescimento.

Antes de implementar estratégias específicas de mindset em suas aulas, veja a perspectiva de forma maior. Considere o desejo humano de ter um sentimento de pertencimento. As pessoas participam de exercícios em grupo com um objetivo comum: fitness e saúde. Eles esperam se conectar com os outros e ser movidos por uma música poderosa. Dessa forma, eles querem pertencer, sentir-se conectados e ter um forte sistema de apoio, como uma família – sua família de aptidão.

Em 2015, uma pesquisa realizada pela The Retention People constatou que o risco de cancelar uma afiliação à academia era 56% maior em membros individuais da academia do que entre os praticantes do grupo (Aiello 2015). Mas, por quê? As respostas apontavam para o lado social do exercício em grupo: a camaradagem, a responsabilidade e o fator diversão – todos os traços incorporados por uma comunidade de fitness.

Aqui estão algumas estratégias para ajudar você a construir um senso mais forte de comunidade em suas aulas:

Conheça seus participantes. Aproveite o tempo para conversar com os alunos, não apenas superficialmente. Envolva-se em um diálogo sincero. Ouça-os e faça perguntas. Mostre interesse em suas famílias e hobbies. Faça com que eles sintam que você valoriza o tempo deles, e não se esqueça de que, para alguns dos participantes mais medrosos, apenas aparecer era uma grande batalha. Assim, reconheça que eles conseguiram estar lá.

Compartilhe histórias pessoais. O clichê “todo mundo tem algo para contar” não poderia ser mais verdadeiro. Ouça as histórias dos seus participantes e compartilhe as suas. É provável que você encontre semelhanças que levem a mais conversa e maior entendimento mútuo. Discuta metas, filhos, férias, experiências e tudo o que mais vier à mente. Se abra. Um instrutor de fitness que compartilha suas histórias demonstra que ela é um ser humano, não um líder robótico sendo pago para trabalhar.

Ria e divirta-se. O riso é um ingrediente fundamental para uma comunidade saudável. Ria de seus erros imediatos e fracassos passados.

 

Estratégias de Coaching para desenvolver uma mentalidade de crescimento

Quais são algumas das coisas práticas que você pode fazer para ganhar a confiança das corajosas almas que chegaram à aula? Como você pode ajudá-los a ganhar confiança? De acordo com a professora de Stanford Carol Dweck, PhD, uma pesquisadora no campo da motivação, você deve encorajar os participantes a apreciar seu progresso à medida que confiam no processo (Dweck 2014). Enfatize o progresso, não a realização final. Dweck sugere tranquilizar e elogiar os alunos, concentrando-se no “processo em que eles se envolvem – em seu esforço, suas estratégias, sua perseverança, sua melhoria”. Veja como:

Apoie o orgulho intrínseco. Em vez de enfatizar as calorias queimadas ou polegadas perdidas, promova a sensação de bem-estar do bom exercício. Isso envia uma mensagem poderosa de que a validação deve vir de dentro. Por exemplo, tente dizer: “Você trabalhou duro hoje; tenha orgulho de si mesmo!” e “Ah, nos sentimos melhor agora do que quando entramos”.

Incentive a tomada de riscos. Construa desafios em sua classe, introduzindo progressões seguras. Por exemplo, você pode dizer: “Quando estiver pronto, tente em uma posição desconcertada ou com um pé só”. Ou ofereça um novo desafio de coreografia dizendo: “Vamos testar alguns novos movimentos com mudanças de direções.”

Ensine resiliência através do exemplo. Fale abertamente sobre seus próprios fracassos e como você os superou. Em uma conversa mais privada com um participante desanimado, use palavras encorajadoras; por exemplo, “Eu sei que as pranchas parecem realmente difíceis no momento, mas conforme você as pratica, é possível segurá-las por mais tempo. Você verá.”

Use uma linguagem positiva para resultados positivos. Indique o comportamento desejado usando uma linguagem positiva ao invés de indicar o que você não quer. Por exemplo, quando você diz “Não deixe seu peito se projetar para a frente” durante o agachamento, os participantes precisam processar essa sugestão, descobrir o que significa e corrigi-la. Eles podem apenas ouvir: “Deixe seu peito cair para frente”. Ao invés disso, diga: “Mantenha o peito erguido”. É claro e preciso, e os participantes tem mais chances de acompanhá-lo.

Implemente o conceito “ainda”. Ajude os participantes a construírem confiança para continuar tentando, para que eles se sintam menos preocupados com as consequências negativas de cometer erros. Dessa forma, se você disser: “Ainda não chegamos lá”, isso significa que todos continuarão trabalhando em direção a um objetivo desejado. A palavra “ainda” tem muito poder em relação à motivação. “Ainda” incentiva o esforço contínuo (Dweck 2014).

Determine intervalos de tempo, não repetições. Os participantes descondicionados se sentirão imediatamente derrotados se acharem que uma tarefa não é alcançável. Ao invés de instruir seu grupo a realizar, digamos, 12 flexões, projete intervalos com base no tempo. Você pode dizer: “Temos 20 segundos de flexões. Faça o que puder com boa forma. Descanse quando precisar”. Dessa forma, participantes descondicionados e/ou nervosos não sentirão que falharam antes mesmo de começarem.

Evite comparações. A autocomparação é a única comparação que você deve encorajar. “Bob, uau! Você é muito mais forte que no mês passado. Grande progresso!”. Bob é levantado e reconhece que seu trabalho duro valeu a pena.

Se você usar essas estratégias em sua comunidade de condicionamento físico, terá mais chances de reter participantes com medo. Você não apenas aumentará seus seguidores, mas também causará um impacto duradouro e positivo em indivíduos que, de outra forma, poderiam se sentir desamparados. Você vai dar-lhes esperança de saúde e bem-estar continuado.

Teoria do mindset de crescimento

Profundamente enraizada na influência social – ou na poderosa influência da criação –, a teoria da mentalidade do crescimento foi desenvolvida pela professora de Stanford Carol Dweck, PhD, pesquisadora no campo da motivação. A partir de três décadas de pesquisa, a maioria envolvendo crianças em idade escolar, Dweck vinculou a motivação dos alunos ao modo como eles percebiam sua inteligência.

Dessa forma, ela determinou que os alunos com uma “mentalidade de crescimento” buscavam desafios, aprendiam com os erros e mantinham a fé em si mesmos, mesmo quando enfrentavam o fracasso (Dweck 2014). Eles acreditavam que suas habilidades poderiam ser desenvolvidas e, como resultado, foram mais bem-sucedidos em todos os aspectos de suas vidas. Você pode usar essa mesma estratégia de mindset de crescimento ao ensinar os participantes de exercício em grupo.

No Comments
Add Comment
Name*
Email*

Você também pode gostar de:

3 Motivos Pelos Quais Suas Costas Ficam Doendo

As dores nas costas estão aumentando e piorando no mundo, apesar de todo o dinheiro, tecnologia, pesquisas, medicamentos, restrições, aparelhos, cirurgias e nossas tentativas inúteis de isolar as costas como a culpada.Desde quando nós nos tornamos uma sociedade tão fraca e sensível que tem medo...

Ler Mais

30 min. para perder gordura By Isaac C. Hayes

Obtenha músculo, melhore o condicionamento aeróbio e queime gordura com um trabalho para o corpo inteiro com um treinamento em circuito.Isaac C. Hayes, iniciou a popularização do fitness, especificamente o circuit training. Se você tem dispensado o passado como mero resíduo da década “disco”, pode...

Ler Mais

4 Fatores que Preveem o Ganho de Peso

por Troy Purdom e Len Kravitz.Profissionais fitness gastam muito tempo ajudando as pessoas a perder peso, mas há outra forma de encarar este desafio: Quais são os principais fatores que levam as pessoas a ganharem peso?Compreender os comportamentos específicos que aumentam o risco de ganho...

Ler Mais

5 dicas para o personal trainer ter sucesso!!!

Alguns personal trainers têm um apetite insaciável por conhecimento e oportunidades de crescimento. Em um encontro anual de treinadores foi formulado um buffet educativo completo com todos os nutrientes necessários para suprir a crescente necessidade dos profissionais do fitness. As 5 dicas seguintes vindas desta...

Ler Mais

6 Fatores que preveem o ganho de peso:

por Troy Purdom e Len Kravitz, PhD em 23 de junho de 2015 Profissionais fitness gastam muito tempo ajudando as pessoas a perder peso, mas há outra forma de encarar este desafio: Quais são os principais fatores que levam as pessoas a ganharem peso? 
 Compreender os...

Ler Mais

6 Passos Para Novos Hábitos

por Derrick Price, MS em 06 de Set., 2017Use o ciclo do hábito para estabelecer novos hábitos diários que o ajudarão a alcançar o resultado desejado. Siga uma abordagem de seis passos para criar novos hábitos focados nos objetivos com seus clientes. Passo 1: Estabelecer Metas e MarcosContrário...

Ler Mais
WhatsApp DoFit